Logo IFRJ

Visita técnica e cultural propõe reflexão a alunos de Arraial do Cabo

Grupo de alunos ouve orientação do guia dentro do museu do amanhã

Museu do Amanhã foi principal ponto de visita do grupo

 

Conceitos como sustentabilidade, responsabilidade ambiental e social e bioética foram postos em discussão

Alunos do 3º e 5º períodos do curso Técnico em Informática e do Projeto de Extensão “Vida Viva Grupo de Teatro” do campus Arraial do Cabo realizaram, no dia 22/06, uma visita técnica e cultural ao Centro do Rio de Janeiro, onde puderam visitar o Real Gabinete Português de Leitura, o Museu do Amanhã, o Cais do Valongo a Praça Mauá e o Centro Cultural Hélio Oiticica.

De acordo com a professora de Filosofia do campus Giovania Alves Costa o principal destino da visita era o Museu do Amanhã. “Baseado no que eles viram durante a visita guiada de 1h30 ao museu, as turmas do 3º e 5º períodos terão que fazer um trabalho para me entregar. Eles tiveram mais 1h livres no museu para colherem material para o trabalho, que deverá ser em vídeo e escrito, relacionado ao que viram por lá, mas dentro da ementa de cada turma”, explicou a docente, que disse ainda que os alunos do 3º período estão trabalhando a ementa sobre conhecimento e os do 5º, sobre ética.

Grupo entrando no Real Gabinete Português de Leitura
Real Gabinete Português de Leitura foi primeira
parada do grupo

Mas o grupo – formado por 44 alunos, a professora Giovania e a coordenadora de Extensão do campus, Shirley Souza – começou a programação no Real Gabinete Português de Leitura, de onde partiu para um almoço num restaurante vegetariano. “Nossa ideia era que o almoço fosse ligado à reflexão estimulada pelo Museu do Amanhã, sobre o papel de cada um na sustentabilidade. É preciso que cada um pese as suas escolhas, pois temos responsabilidades sobre nossos hábitos e a produção da carne afeta bastante o meio ambiente”, afirmou Giovania.

Gabrielli Ribeiro, que faz parte do Projeto de Extensão “Vida Viva Grupo de Teatro”, é vegetariana e achou a ida ao restaurante uma escolha acertada. “Em toda visita técnica em que eu vou, sempre fico um pouco perdida na hora do almoço. Dessa vez, como fomos a um restaurante vegetariano, para mim foi uma experiência bem legal. Ver a reação dos outros alunos foi interessante, porque as pessoas não estão acostumadas a outras opções que não tenham carne. Eu não acredito que carne seja essencial, além de ser muito cara para produzir”, enfatizou.

Alunos na fila do restaurantes
Almoço vegetariano fez parte da reflexão proposta pela atividade

O grupo fez, ainda, um passeio pelo boulevard da Praça Mauá, onde puderam conhecer o mural "Etnias", realizado por Eduardo Kobra e reconhecido como o maior grafite do mundo pelo "Guiness world records", o livro dos recordes; e uma caminhada até o Cais do Valongo: “além de uma oportunidade histórica e cultural, os alunos puderam viver uma experiência que irá auxiliá-los nas aulas de Sociologia, nas quais estão trabalhando o período da escravidão”, destacou Giovania. Eles também puderam visitar a exposição “Junho de 2013: Cinco Anos Depois”, que reúne obras de diversos artistas no Centro Cultural Hélio Oiticica.

Grupo de alunos na frente do painel de grafite
Painel de grafite do artista Eduardo Kobra, na Praça Mauá, também fez parte da programação

João Vítor da Costa Peisini, aluno do 3º período do curso Técnico em Informática, afirmou que a visita foi uma ótima experiência, principalmente no museu do amanhã. “O que eu mais gostei foi o fato de os instrutores tentarem fazer os visitantes refletirem. Eu até comentei com um dos meus colegas que se todos no mundo viessem a esse museu pelo menos uma vez, o mundo com certeza seria muito diferente. As reflexões que fazemos lá dentro nos inspiram a tomar ou deixar de tomar diversas atitudes. Você sai de lá diferente de quando entrou e foi isso que eu achei um máximo”, opinou.

ASSUNTOS

SERVIÇOS

REDES SOCIAIS

NAVEGAÇÃO