Logo IFRJ

Professora do IFRJ vai coordenar equipe de avaliação nacional de centros especializados em reabilitação

O projeto “CERBRASIL - Avanços, Desafios e Operacionalização dos Centros Especializados em Reabilitação (CER)”, coordenado pela professora do campus Realengo Luciana Castaneda Ribeiro, foi aprovado no edital nº 35/2018 de Avaliação da Implementação da Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência no Sistema Único de Saúde (SUS), promovido pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). O resultado final foi publicado no início de março (06/03/2019) e o projeto tem como instituição executora o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ).

O projeto, que tem financiamento de cerca de R$ 430 mil, objetiva caracterizar os Centros Especializados de Reabilitação (CER) como agentes de fortalecimento à integralidade do sujeito, tendo como alinhamento a Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência (RCPCD). Tem caráter multicêntrico com representatividade nacional e conta com catorze instituições de dez estados brasileiros. O objetivo geral é caracterizar o cenário da oferta dos serviços de CER no Brasil.

De acordo com a coordenadora, a seleção tem um grande impacto positivo para o IFRJ, coloca a pesquisa em políticas públicas de saúde desenvolvida pelo campus Realengo em evidência e reforça a trajetória do campus de uma década de formação de recursos humanos para o Sistema Único de Saúde. “O IFRJ é pioneiro nos cursos de graduação em saúde e temos muitas especificidades em Realengo, como a Clínica Escola, que tem um lindo projeto de acompanhamento de crianças com microcefalia em decorrência do Zika Vírus. O montante do financiamento e a responsabilidade em executar uma pesquisa encomendada pelo Ministério da Saúde é inédita na nossa trajetória. Conquistamos duas bolsas de Iniciação Tecnológica e Industrial concedidas por 24 meses. Temos ainda outras 13 bolsas de longa duração do CNPq que já estão implementadas”, explicou Luciana.

A professora disse, ainda, que a equipe ficou muito impressionada com a nota da avaliação (9.29) e com o resultado. “Penso que não imaginávamos ser tão fortes. Para nossos alunos é ainda mais importante. Mostramos à comunidade do IFRJ, com essa conquista, que temos propostas sólidas de pesquisa e inovação em saúde no campus Realengo”, destacou.

A pesquisadora esclarece, ainda, que os resultados gerados pelo CERBRASIL podem subsidiar estratégias e iniciativas concretas para a ampliação e a qualificação da oferta de Reabilitação no SUS. “A temática do edital sobre a Rede de Cuidado à Pessoa com Deficiência é uma agenda global. A Rede, implementada em 2014 por um amplo conjunto de medidas interministeriais do plano ‘Viver Sem Limites’, visa a caminhar de maneira efetiva para a inclusão das pessoas com deficiência. É a primeira vez que essa Rede está sendo avaliada nacionalmente. Os resultados do projeto servirão como subsídios para o aprimoramento das medidas que visam a aumentar a Ffuncionalidade de pessoas com deficiência no Brasil”, analisou Castaneda.

O projeto já foi iniciado e está em fase de aproximação com os CERs. “Não é fácil. Os gestores ficam receosos em serem avaliados e precisamos da anuência para avançar nos aspectos éticos. Os gestores têm receio de perder recursos”, diz a pesquisadora. “Estamos construindo uma estratégia de sensibilização e aproximação.” Segundo Castaneda, até o momento existe a anuência de 15 CERs em cinco estados (RJ, SP, RN, CE, AM). A expectativa é que sejam avaliados cerca de 40 CERs nos estados envolvidos na pesquisa.

ASSUNTOS

SERVIÇOS

REDES SOCIAIS

NAVEGAÇÃO