Curso Superior de Tecnologia em Jogos Digitais

O design curricular do curso de Jogos Digitais foi minuciosamente planejado mediante realização de audiências públicas, visitas a universidades que disponibilizam o curso e intenso diálogo com os segmentos produtivos. Cada um dos seis períodos letivos será centrado em uma temática: Jogos em 2D, Jogos em 3D, Jogos em Rede, Jogos para Consoles, Jogos para Dispositivos Móveis e Jogos para TV Digital. Ao final do curso o estudante será diplomado Tecnólogo em Jogos Digitais, estando apto a prosseguir seus estudos em nível de pós-graduação e a ingressar no mercado de trabalho em diferentes segmentos da economia, atuando principalmente como Programador de Jogos Digitais, Game Designer, Artista Gráfico ou, ainda, Músico Digital.

 

 

Em meio a crise, mercado eletrônico se destaca como promissor

(Clique aqui para assistir)

 

Primeira faculdade federal de jogos digitais atrai estudantes ao Sul do Rio

(Clique aqui para assistir)

 

Faculdade do sul do estado oferece curso de desenvolvimento de games

(Clique aqui para assistir)

 

Revista da Graduação do IFRJ - Sobre o curso de Jogos Digitais

(Clique aqui para ler)

 


O campus possui todas as condições necessárias para o desenvolvimento de um curso de alto nível, contando com corpo docente especializado e experiente no segmento, laboratórios (Oficina de Criação, Laboratório de Informática I e II, Laboratório de Arquitetura de Computadores entre outros), biblioteca com acervo especializado e atual (mais de 2.000 títulos, a maioria específicos), auditório e demais recursos. Inicialmente o curso será ofertado no turno matutino, com 35 vagas por semestre. A seleção é realizada pelo Sisu (http://sisu.mec.gov.br/) que é o sistema informatizado do Ministério da Educação, por meio do qual instituições públicas de ensino superior oferecem vagas a candidatos participantes do Enem.
 


DADOS GERAIS

Nome do Curso: Curso Superior de Tecnologia em Jogos Digitais
Área de conhecimento: Informação e Comunicação
Modalidade de oferta: presencial
Regime de matrícula: créditos
Periodicidade letiva: semestral
Tempo mínimo de integralização: 06 semestres
Prazo máximo de integralização: 11 semestres
Carga horária total do curso: 2.149 horas
Turno de oferta: Matutino
Oferta anual de vagas (por turma e turno de funcionamento): 70 (35 por turma/semestre)
Pré-requisito para ingresso no curso: Ensino Médio completo

 


OBJETIVO GERAL

Formar tecnólogos na área de desenvolvimento de jogos digitais, aptos à análise crítica e criativa, direcionados a elaboração de pesquisas e aplicativos para atender às necessidades mercadológicas de criação de jogos e gerenciamento de projetos de comunicação e tecnologia, trabalhando de forma integrada com as demais áreas envolvidas no processo de produção de jogos.

 


PERFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO
O Curso Superior de Tecnologia em Jogos Digitais oferece a formação profissional alinhada à definição do Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia. Desta forma, espera-se que, ao final do curso, o egresso esteja apto a atuar no segmento de entretenimento digital, podendo:


•    Desenvolver produtos tais como: jogos educativos, de aventura, de ação, de simulação 2D e 3D entre outros gêneros;
•    Lidar com plataformas e ferramentas para a criação de jogos digitais;
•    Trabalhar no desenvolvimento e na gestão de projetos de sistemas de entretenimento digital interativo – em rede ou isoladamente – de roteiros e modelagem de personagens virtuais e na interação com banco de dados;
•    Atuar como autônomo ou em empresas produtoras de jogos digitais, canais de comunicação via web, produtoras de websites, agências de publicidade e veículos de comunicação.
 


A FORMAÇÃO EM JOGOS DIGITAIS
A formação de um profissional na área de jogos digitais é multidisciplinar. Existem quatro perfis profissionais principais para a área de jogos digitais:


•    Programador de Jogos Digitais;
•    Game Designer;
•    Artista Gráfico;
•    Músico Digital.

O Programador de Jogos Digitais é o profissional que concretiza as idéias descritas no plano de desenvolvimento do jogo, transformando-as em realidade.  É responsável pela programação do jogo, ou seja, por codificar toda a mecânica de funcionamento do jogo, bem como também, por unificar e incorporar ao programa do jogo todo o trabalho dos demais profissionais, dando origem aos protótipos do jogo e o jogo propriamente dito (software) como produto final.


O Game Designer, também conhecido como o idealizador do jogo, é considerado a viga mestra para o desenvolvimento do jogo, sendo responsável pela concepção de tudo aquilo que está por trás do jogo. Isto inclui a elaboração do plano de desenvolvimento do jogo, que inclui a descrição detalhada de cada aspecto presente no jogo, incluindo os objetivos, o enredo, os personagens, os cenários e a toda a mecânica de funcionamento do jogo. Também pode ser considerado como um orientador de toda a equipe de desenvolvimento, pois relaciona-se constantemente com os demais profissionais, repassando as idéias, avaliando os resultados e tomando decisões acerca da criação do jogo.


O Artista Gráfico, conhecido também como designer gráfico, é responsável por dar expressão e vida aos personagens e cenários definidos para o jogo. Isto envolve a criação de toda a arte do jogo, desde o desenho dos modelos dos personagens (em papel e depois no computador) aos cenários onde acontecerá o jogo, de acordo com as características definidas no plano de desenvolvimento do jogo.


O Músico Digital é o profissional responsável por trazer ao jogo o clima e a sensação que só bons arranjos ou composições sonoras podem proporcionar. É responsável pela construção e adaptação da trilha sonora do jogo e também de todos os demais efeitos sonoros, incluindo golpes, ruídos e os demais sons existentes no jogo.

 


INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR
Os componentes curriculares do curso estão distribuídos em cinco eixos principais, organizados da seguinte forma: programação de jogos digitais, artes gráficas para jogos digitais, gestão em jogos digitais, base científica para jogos digitais, por fim o humanístico e complementar para jogos digitais, totalizando 2.149 (duas mil e cento e quarenta e nove) horas. O Curso Superior de Tecnologia em Jogos Digitais terá duração mínima de 6 (seis) semestres, organizados em sistema de créditos. O período de integralização máxima do curso é de 11 (onze) semestres.


Serão abordadas as disciplinas agrupadas por afinidade, desenvolvendo competências e habilidades cognitivas (técnicas e metodológicas), pessoais e sociais, necessárias para que o egresso exerça de forma plena suas atividades no mercado de trabalho. Os temas estão equilibradamente distribuídos pelos períodos.


A organização curricular do Curso Superior de Tecnologia em Jogos Digitais privilegia a formação do profissional capacitado para a criação de sistemas ludo-narrativos, estratégias comunicativas, narrativas, discursivas, roteiros, personagens, animações, código, planejamento mercadológico e gestão de projetos de jogo. Para tanto está estruturada da seguinte forma:

Eixo Formativo I – Programação de Jogos Digitais
Este eixo possui como ênfase abordar as práticas profissionais relacionadas aos conteúdos técnicos da lógica de programação e aplicação desses conceitos na programação e construção de jogos digitais, através da utilização de técnicas e ferramentas de desenvolvimento.

Eixo Formativo II – Artes Gráficas para Jogos Digitais
As práticas profissionais relacionadas aos conteúdos relacionados às técnicas de desenho e a linguagem visual utilizada e nos meios audiovisuais, além de propor a exploração de técnicas gráficas de design e utilização de ferramentas de design e modelagem para a comunicação nas suas diversas possibilidades compositivas e construtivas.

Eixo Formativo III – Gestão em Jogos Digitais
As práticas profissionais relacionadas neste eixo abordam aspectos de planejamento e análise crítica do projeto e desenvolvimento de jogos digitais, a partir da reflexão e fundamentação teórica e prática, consolidada a partir do desenvolvimento dos trabalhos de conclusão de período. Além de propiciar a aprendizagem do gerenciamento e estruturação de suas idéias e dos processos administrativos relacionados à produção de jogos digitais, as disciplinas deste eixo configuram uma concepção de formação autônoma e empreendedora para o seu exercício profissional.

Eixo Formativo IV – Base Científica para Jogos Digitais
Este eixo busca privilegiar o desenvolvimento do raciocínio abstrato, a formulação, representação, manipulação e resolução simbólica de problemas. De um modo geral, a Física e a matemática abrangem conteúdos que conduzem o aluno a compreender os fenômenos naturais, contribuindo para introduzir uma visão científica, onde os modelos são ferramentas importantes para representação da realidade observada. Ademais, a Física capacita o aluno a compreender os avanços tecnológicos obtidos através da utilização ou formulação de novos modelos.

Eixo Formativo V – Humanístico e Complementar para Jogos Digitais

O último eixo busca desenvolver uma formação ampla voltada para uma compreensão humanística e linguística do complexo de problemas envolvidos no desenvolvimento e aplicação dos jogos, contextualizando-os nos diversos domínios de aplicação e do seu uso, numa abordagem integradora. A aplicação dos jogos digitais como elemento de modificação da sociedade requer a compreensão e análise crítica da realidade no contexto social, educacional, econômico, cultural e político, que torna necessária ao aluno uma importante formação humanística. Tal formação possibilitará ao futuro profissional considerar as relações sociais e econômicas do mundo competitivo e global imposto pelas tecnologias da informação e comunicação. Forma-se, assim, um profissional com princípios fundados em valores éticos para uma atuação cooperativa, madura, responsável e solidária, de modo a promover o desenvolvimento autônomo e sustentado da sociedade.
 


MATRIZ CURRICULAR

 

Período

Componentes curriculares

 

Carga Horária

Pré-requisito/correquisito

Teórica

Prática

Total

Programação de Jogos 2D

Obrigatória

20

48

68

-

Trabalho de Conclusão de Período I – Jogo 2D

Obrigatória

9

18

27

-

Cultura, Indústria e Mercado de Jogos

Obrigatória

18

9

27

-

Animação 2D

Obrigatória

18

36

54

-

Edição Digital de Imagens

Obrigatória

18

36

54

-

Criação de Personagens

Obrigatória

18

36

54

-

Informática I

Obrigatória

9

18

27

-

Game Design e Roteirização

Obrigatória

9

18

27

-

Total

 

119

219

338

 

Jogos 3D com Engines

Obrigatória

27

54

81

-

Trabalho de Conclusão de Período II – Jogo 3D

Obrigatória

9

18

27

-

Modelagem de Cenários 3D

Obrigatória

20

48

68

-

Criação de Personagens 3D

Obrigatória

20

48

68

Pré-requisito: Criação de Personagens

Animação de Personagens 3D

Obrigatória

20

48

68

Pré-requisito: Criação de Personagens

Gestão de Projetos I - Escopo

Obrigatória

14

13

27

-

Total

 

110

229

339

 

Jogos em Rede Multiplayer

Obrigatória

35

46

81

-

Trabalho de Conclusão de Período III – Jogo em Rede

Obrigatória

9

18

27

-

Jogos para Redes Sociais

Obrigatória

20

48

68

-

Banco de Dados Aplicado a Jogos

Obrigatória

18

36

54

-

Interfaces para Jogos

Obrigatória

18

36

54

-

Cálculo Vetorial e Geometria Analítica

Optativa

46

8

54

-

Gestão de Projetos II – Tempo

Optativa

14

13

27

Pré-requisito: Gestão de Projetos I - Escopo

Empreendedorismo

Optativa

18

9

27

-

Total

Ênfase Curricular 1

146

192

338

 

Ênfase Curricular 2

132

206

338

Jogos para Dispositivos Móveis

Obrigatória

27

54

81

-

Trabalho de Conclusão de Período IV – Jogo para Dispositivo Móvel

Obrigatória

9

18

27

-

Áudio para Jogos Digitais

Obrigatória

27

54

81

-

Inteligência Artificial Aplicada a Jogos

Obrigatória

34

34

68

-

Metodologia Científica

Obrigatória

18

9

27

 

Cálculo II

Optativa

46

8

54

Pré-requisito: Cálculo Vetorial e Geometria Analítica

Gestão de Projetos III - Custos

Optativa

14

13

27

Pré-requisito: Gestão de Projetos II - Tempo

Comunicação e Informação

Optativa

23

4

27

-

Total

Ênfase Curricular 1

161

177

338

 

Ênfase Curricular 2

152

186

338

Jogos para Consoles

Obrigatória

27

54

81

-

Trabalho de Conclusão de Período V – Jogo para Console

Obrigatória

9

18

27

-

Serious Games

Obrigatória

34

34

68

 

Edição Digital de Vídeos

Obrigatória

27

54

81

-

Física para Jogos Digitais I

Optativa

27

54

81

Pré-requisito: Introdução ao Cálculo; Programação de Jogos 2D

Gestão de Projetos IV - Riscos

Optativa

14

13

27

-

Gestão de Projetos V - Qualidade

Optativa

14

13

27

-

Inglês Instrumental

Optativa

23

4

27

-

Total

Ênfase Curricular 1

124

214

338

 

Ênfase Curricular 2

148

190

338

Jogos para TV Digital

Obrigatória

27

54

81

-

Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)

Obrigatória

27

27

54

-

Interoperabilidade aplicada a Jogos

Obrigatória

27

27

54

-

Jogos de Entretenimento Educativo

Obrigatória

27

27

54

-

Física para Jogos Digitais II

Optativa

20

48

68

Pré-requisito: Física para Jogos Digitais I

Análise de Editais

Obrigatória

18

9

27

-

Marketing Digital

Optativa

14

27

41

-

Acessibilidade em Jogos

Optativa

18

9

27

 

Total

Ênfase Curricular 1

146

192

338

 

Ênfase Curricular 2

158

180

338

 

 


DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS E OPTATIVAS
A integralização do curso está calcada na conclusão de todas as disciplinas obrigatórias, além da conclusão de 257 horas obrigatórias de disciplinas optativas, obedecendo a seguinte distribuição:


•    No 3º período, execução mínima de 54 horas de disciplinas optativas;
•    No 4º período, execução mínima de 54 horas de disciplinas optativas;
•    No 5º período, execução mínima de 81 horas de disciplinas optativas;
•    No 6º período, com execução mínima de 68 horas de disciplinas optativas.

As disciplinas optativas foram construídas com base nas seguintes ênfases curriculares:
•    Ênfase Curricular 1: O aluno pode escolher fortalecer seus conhecimentos na área científica e acadêmica, permitindo diálogo mais estreito com as engenharias devido a existência das disciplinas da área das ciências exatas. Esta ênfase curricular é composta pelas disciplinas optativas do Eixo Formativo IV – Base Científica para Jogos Digitais;


•    Ênfase Curricular 2: Permite ao aluno aprofundar ainda mais seus conhecimentos tanto na área de gestão quanto em humanas. Esta ênfase curricular é composta pelas disciplinas optativas disponíveis nos seguintes eixos formativos: Eixo Formativo III – Gestão em Jogos Digitais e Eixo Formativo V – Humanístico e Complementar para Jogos Digitais;


•    Ênfase Curricular 3:  Uma formação completa, onde o aluno venha a cursar todas as disciplinas optativas, ampliando ainda mais seu conhecimento e se posicionando a fronteira do conhecimento em uma formação bastante vanguardista nesta área.

 


ESTÁGIO
O Estágio Curricular foi organizado conforme a legislação vigente e fundamentado na teoria pedagógica de Donald Schön – Epistemologia da Prática/Teoria da Reflexão, onde “o profissional constrói conhecimento em sua prática cotidiana”, visando à formação de um profissional reflexivo, autônomo e pesquisador de sua própria prática.


Objetivando uma formação ainda mais completa, é obrigatória realização de 80 horas de estágio. Tal obrigatoriedade está prevista no artigo 2º da lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008, conhecida como lei de estágio, além de regimentos internos do IFRJ relativos a estágios. Por este motivo foram estabelecidas diretrizes, normas e procedimentos, unificando processos e atendimentos.


O estágio é ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo de educandos que estejam frequentando o ensino regular em instituições de educação superior, de educação profissional, de ensino médio, da educação especial e dos anos finais do ensino fundamental, na modalidade profissional da educação de jovens e adultos. O estágio integra o itinerário formativo do educando, visando ao aprendizado de competências próprias da atividade profissional e à contextualização curricular, objetivando o desenvolvimento do educando para a vida cidadã e para o trabalho.


Funções principais:
•    Incentivar o acesso de alunos e de formados à prática profissional;
•    Estabelecer ligação entre os cursos com as expectativas do mercado;
•    Propor parcerias que colaborem para a melhoria constante da qualificação dos discentes e egressos.
•    acesso, tanto para o discente e egresso quanto para as empresas se cadastrarem, deve ser feito pelo CoIEE.


Observa-se que:
•    O estágio curricular supervisionado consta de atividades de prática profissional, e em situações reais de trabalho realizadas a partir do 2º período;
•    O estágio realizado em serviço não estabelece vínculo empregatício, podendo o estagiário receber bolsa de estágio e estar segurado contra acidentes, de acordo com a legislação em vigor;
•    O estágio ocorre em instituições públicas ou privadas que tenham condições de proporcionar experiência prática na linha de formação;
•    Os estágios são coordenados pelos respectivos professores designados para orientação e supervisão, os quais deverão acompanhar o trabalho dos alunos, desde a aprovação do plano de atividades até a apresentação do relatório final correspondente;
•    Observadas as normas gerais, o estágio obedecerá regulamentação própria, em conformidade com a CoIEE do IFRJ.

Conforme o Regulamento do Estágio Curricular dos Cursos do IFRJ, o estágio tem por objetivo a “... participação do aluno em atividades que articulem ensino, pesquisa e extensão, tríade que privilegia a formação integral do profissional, consolidando-se em situações concretas do ambiente educacional a articulação entre a teoria e a prática.” A sistematização do Estágio Curricular Supervisionado é operacionalizada em regulamento próprio disponível no CoIEE.

As atividades de cunho acadêmico, tais como projetos e programas de pesquisa, estágios extracurriculares, monitorias e projetos experimentais em jogos digitais e internos ao campus também poderão ser contabilizadas para efeito de horas de estágio, em conformidade com o artigo 2º, § 3º da lei nº 11.788/2008, pois segundo o texto da lei, as atividades de extensão, de monitorias e de iniciação científica na educação superior, desenvolvidas pelo estudante, somente poderão ser equiparadas ao estágio em caso de previsão no projeto pedagógico do curso.

 



Projetos e Programas de Pesquisa


DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES


LIMITE MÁXIMO PARA APROVEITAMENTO


REQUISITO


Atividades de Pesquisa desenvolvidas fora dos planos das disciplinas do curso, sob a orientação de docente, tais como: Pesquisa de Opinião, Pesquisa de Satisfação, Pesquisa de Mercado, Auditoria Técnica etc.


40h


Projeto e relatório aprovado pelo docente responsável


Bolsista de Iniciação Científica, sob a supervisão de docente.


40h


Comprovante da bolsa


Publicações de produção científica na área, excetuando-se os trabalhos realizados em âmbito curricular do curso.


40h


Comprovante da publicação

 



Estágios Extracurriculares


DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES


LIMITE MÁXIMO PARA APROVEITAMENTO


REQUISITO


Estágios desenvolvidos que não constam na grade curricular


40h


Cópia do convênio, declaração do responsável e comprovantes das atividades

 



Monitorias


DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES


LIMITE MÁXIMO PARA APROVEITAMENTO


REQUISITO


Monitorias em disciplinas, projetos de pesquisa e laboratórios integrantes do curso.


40h


Atestado e relatório aprovado pelo docente responsável

 



Projetos Experimentais em Jogos Digitais


DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES


LIMITE MÁXIMO PARA APROVEITAMENTO


REQUISITO


Desenvolvimento de projetos e protótipos de jogos digitais, desde que não façam parte do planejamento de nenhuma disciplina do currículo do curso.


40h


Comprovante do trabalho

 

 


TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC
Para a conclusão do curso, o tecnólogo, a partir das suas vivências e experiências com a prática pedagógica, deverá estruturar e apresentar um trabalho individual ou em equipe sobre tema pertinente aos conteúdos da sua formação específica. Este trabalho deverá ter a supervisão e orientação de um professor do Curso. Como Trabalho de Conclusão de Curso, o tecnólogo poderá ainda elaborar projetos de investigação de temas específicos. Os alunos estarão envolvidos nas etapas de preparação, elaboração e apresentação de um projeto final de um jogo digital, que constará como um requisito para obtenção do grau de tecnólogo em jogos digitais. É importante que a entrega do trabalho, além da documentação proposta, acompanhe a construção e entrega de um protótipo de aplicativo ou software, de forma a ratificar o aprendizado técnico dos discentes. Os Trabalhos de Conclusão de Curso devem seguir a norma da ABNT vigente e estar em conformidade com o regulamento dos trabalhos de conclusão dos cursos de graduação e com as diretrizes para apresentação dos trabalhos de conclusão dos Cursos de Graduação (TTC) ambas disponíveis no site institucional.
 


ATIVIDADES COMPLEMENTARES
Os discentes poderão realizar, opcionalmente, atividades complementares, que compreendem: projetos e programas de pesquisa, projetos de extensão, estágios curriculares não obrigatórios, monitorias e atividades afins. As normas para aproveitamento de horas para efeito de integralização ao total já previsto pelo curso deverão ser elaboradas pelo Colegiado do Curso, que construirá a Regulamentação das Atividades Complementares.

 



Projeto de Extensão


DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES


LIMITE MÁXIMO PARA APROVEITAMENTO


REQUISITO


Participação em seminários, encontros, simpósios, conferências, ciclo de palestras, congressos, oficinas, internos ou externos à Instituição de Ensino Superior.


20h


Certificado de participação em carga horária especificada


Ações de voluntariado, consultorias e assessorias, desde que não façam parte do planejamento das disciplinas do curso.


20h


Declaração do responsável pela organização


Disciplinas cursadas em outros cursos superiores, inclusive sob a forma de ensino à distância, não previstas ou aproveitadas na matriz curricular vigente do Curso de Jogos Digitais, viagens de estudo e visitas técnicas.


15h


Certificado ou comprovante de frequência, com aprovação através de histórico acadêmico


Participação em comissão organizadora de eventos científicos, artísticos, culturais e esportivos.


15h


Certificado comprovando participação na Comissão Organizadora.

 



 Outras atividades afins


DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES


LIMITE MÁXIMO PARA APROVEITAMENTO


REQUISITO


Atividades que tenham reconhecida validade pedagógica ao Curso Superior de Tecnologia em Jogos Digitais, a partir da análise da coordenação ou por um professor designado por esta. Cursos de Línguas e Cursos nas áreas de Informática, Design ou Jogos Digitais podem ser aproveitados.


10h


Comprovante

 

As atividades complementares serão contabilizadas apenas após a efetivação da matrícula do discente no curso.

 


FLUXOGRAMA DO CURSO

(clique para ampliar)

 

 

 

Projeto Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em Jogos Digitais (Completo)

 

Ato Autorizativo do Curso Supeior de Tecnologia em Jogos Digitais - Res n° 26 de 30/06/2014

 


 

Deseja maiores informações sobre esta ação do Campus Eng. Paulo de Frontin, faça contato conosco através da:

 

Coordenação do Curso Superior de Tecnologia em Jogos Digitais
Telefone: (24) 2468-1851

Coordenação: André Luiz Brazil
E-mail: jogos.cepf@ifrj.edu.br

Endereço: Av. Maria Luiza, s/nº, sala A100D, Sacra Família do Tinguá, Engenheiro Paulo de Frontin, RJ - CEP: 26.660-000

Desenvolvido em: Drupal
Sítio melhor visualizado em Mozilla Firefox
Equipe de desenvolvimento: DGTI - CODES

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro - Reitoria

Rua Pereira de Almeida, 88 - Praça da Bandeira - Rio de Janeiro - RJ CEP: 20260-100 Telefone: (21) 3293-6000

Entre em contato conosco