Trilhas

Sob a vice-curadoria do IFRJ – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, são espaços de discussão compostos por palestras individuais de 15 minutos (sem perguntas da plateia) ou proferidas por keynotes e painéis coletivos interligados por uma determinada temática, com no máximo 30 minutos de duração e 15 minutos para perguntas da plateia. As palestras estão distribuídas da seguinte forma:

Trilha da Literatura (TL): Destinada a escritores e interessados (as) em conhecer o que existe de contemporâneo e diversificado na produção literária realizada por ou sobre afrodescendentes.

Trilha da Diáspora Africana (TD): Destinada a estudiosos da academia ou a pessoas que produzem o saber popular sobre os movimentos e registros relacionados à diáspora africana.

Trilha de Políticas Públicas (TP): Busca-se a discussão, troca de experiências e apresentação das diversas políticas públicas em desenvolvimento no país, inclusive a lei 12.711/2012, que trata das cotas.

Trilha do Educador (TE): Propõe reflexão a professores, educadores e a comunidade sobre as ações desenvolvidas nos últimos 10 anos da lei 10.639/2003, que incluiu no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira”.

Trilha Infanto-Juvenil (TI): Promove espaço para jovens e crianças no festival.

 

Local: Paróquia São João Batista (Igreja da Matriz – Salão 4) - Praça Getúlio Vargas, s/nº, Centro, São João de Meriti - RJ.

Período: 17 a 18 de novembro de 2016
 
 

.17/11/2016 – Manhã das 10 h às 11 h 00 - Trilha da Diáspora Africana (TD): Destinada a estudiosos da academia ou a pessoas que produzem o saber popular sobre os movimentos e registros relacionados à diáspora africana.

 

Tema : "Culturas Bantus"
 
 
  O poeta, compositor, pesquisador e escritor Nei Lopes é o personagem escolhido para abrir o IV Festival Literário Internacional da diáspora Africana de São João de Meriti. Este ano o tema do festival é “Culturas Bantus” nada melhor do que um pesquisador que lançou o Novo Dicionário Banto do Brasil para abrilhantar o Festival. Autor de uma vasta obra que versa sobre a temática negra. Nascido no Rio de Janeiro em 1942, Nei Lopes teve infância similar a milhares de jovens do subúrbio. Estudou direito e ciências sociais na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e sempre manteve profundos laços com o samba.  
 
17/11/2016– Manhã das 11 às 12 h – Trilha das Políticas Públicas (TP): 

   Cristina Fernandes Warth - Formada em História pela UFF/RJ, e dirige a Pallas Editora, que atua principalmente com títulos sobre cultura afro-brasileira e temas africanos da diáspora, e participou ativamente da fundação da Libre.


 

Francisco Jorge- Editora Male -Formado em Letras e gestor em projetos sociais da ONG Ser Cidadão, no bairro de Santa Cruz.

   Mediador Prof.Rafael Almada

 

 
 
17/11/2016– Manhã das 14 às 16h– Trilha das Políticas Públicas (TP): 

 Tema :  Políticas Públicas para o livro e a leitura


https://lh3.googleusercontent.com/-vnjzymkuFBw/AAAAAAAAAAI/AAAAAAAAA2k/UjS3Q90PClo/s120-c/photo.jpg Renata Costa , é a Coordenadora de Acervos e do Sistema Estadual de Bibliotecas da Secretaria de Estado de Cultura/RJ. Trabalha com fomento à literatura nos espaços de leitura, como bibliotecas públicas, comunitárias e pontos de leitura. Para isso, trabalha no mapeamento de todos esses espaços, buscando a realização de uma rede. Integrante de comissões de avaliação nos editais de Difusão e Intercâmbios Culturais, pela Secretaria de Estado de Cultura, Edital de Apoio a Feiras de Livros e Eventos Literários e hoje no Edital de Bolsas de Fomento à Literatura, no eixo Criação Literária, ambos pertencentes à Diretoria de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (DLLLB), Ministério da Cultura (MinC). Além disso, por ter iniciado no mercado editorial e livreiro, atuou na coordenação (ou vivência) de processo editorial, passando por todas as etapas, desde o primeiro contato com autores (contratos e instruções legais, direitos conexos, gerenciamento), revisores, diagramadores e pré-impressão e gráfica. Atuação em feiras e eventos como Primavera dos Livros, Salão do livro e lançamentos. Visitas a universidades para reuniões com professores das áreas de interesse das editoras. Revisora há oito anos. Começou com revisão de materiais de educação corporativa, e-learning, material de marketing e para treinamentos presenciais. Possui experiência com livros de literatura, brasileira e estrangeira. Trabalhou com revisão jornalística para o RJsports, jornal de circulação do Metrô/RJ. É leitora crítica de obras no prelo, auxiliando o autor a adequar o texto ao público. Blog literário com impressões pessoais.

 

 

14:00h Mesa redonda: O impacto da Intolerância Religiosa  na Nossa Saúde. Local: Tenda Carolina de Jesus.


 

    Maria da Fé - Professora e teóloga, o trabalho de Maria da Fé, carinhosamente conhecida como "Fezinha", consiste em articular eventos relativos à promoção da igualdade racial em toda a cidade. "Dentro dessa articulação, minha função tem ligação direta com o povo evangélico, pois a Superintendência é composta por pessoas de religiões diferentes e a esperança é que sejamos embaixadores em nossas denominações", declara.

 

-    Mãe Marilene – Casa de Cláudia

 

    Vilma Piedade - Coordenadora da Rede Nacional de Religiões Afro-Brasileiras (Renafro).

 

   Mediadora: Priscila Fisher – Jornalista e integrante do grupo Mulheres de YepondáPriscila Fisher – Jornalista formada pela PUC-Rio acumula passagens em importantes veículos de comunicação do Brasil. Atuou como repórter nos jornais O Globo e Extra, e como editora de conteúdo para internet da TV Globo. Traz também no currículo o trabalho como repórter e produtora de reportagem da TRIP TV e Revista TPM, esta última a revista feminina com mais indicações ao Prêmio Esso - o mais respeitado do país com foco em jornalismo.

 

 19:00h Palestra:  Gestão:  O  caso da Incubadora Afro Brasileira. Local: IFRJ Campi São João de Meriti (anexo CIEP 132  - Av. Tôrres Homem, S/N - Éden, São João de Meriti – RJ)

  Judson Nascimento - Consultor em Marketing da Incubadora Afro Brasileira - Doutorado em Engenharia de Produção, com ênfase em inovação social na COPPE/UFRJ, mestrado em Comunicação Científica e Tecnológica, com ênfase em marketing pela Universidade Metodista de São Paulo - UMESP, especialização em Propaganda e Marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing - ESPM. Formação em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ, pesquisador do Laboratório de Tecnologia e Desenvolvimento Social - LTDS. Consultor de comunicação e marketing da Incubadora Afro Brasileira, experiência de mais de 25 anos nas áreas de Comunicação, Propaganda, Marketing Empresarial e Social, tendo como área de interesse: marketing, propaganda, gestão de microempresas, gestão para a inovação social, responsabilidade social, empreendedorismo, incubadora de negócios, desenvolvimento sustentável e desenvolvimento local ou situado.
 
 
Prof. Anderson Oriente – IFRJ Campus São João de Meriti - Doutorando em Engenharia de Produção pela COPPE/UFRJ, possui Mestrado em Engenharia de Produção pela mesma instituição , Especializações em Gestão e Gerenciamento de Projetos POLI/UFRJ (2012) e Responsabilidade Social Terceiro Setor pelo IE/UFRJ . É graduado em Ciências Econômicas pela Universidade Estácio de Sá (2005). Tem experiência nas áreas de Economia, com ênfase em Gestão de Projetos Sociais com iniciativas públicas e privadas, atuando principalmente nos seguintes temas: Tecnologias Sociais, Economia Solidária (microcrédito, cooperativismo popular e desenvolvimento local), Empreendedorismo e Terceiro Setor.

 

 18/11/2016

11:00h Palestra: Política  Pública de Promoção da Igualde Racial – Local: Salão da Igreja da Matriz. 

 - Giovanni Harvey

   Leila Regina Silva Soares

14:00h Mesa redonda: Estão as Cotas em Risco? Desafios das fraudes no sistema de cotas em concursos públicos-L(local salão4 da igreja)

    Prof. Dra. Isabel Cruz – UFF-Faculdade de Enfermagem – Integrante da Comissão de Estudos sobre Prevenção da Fraude Étnico-racial da Universidade Federal Fluminense.

 

      Dra. Arinilta Caet-ano – Advogada e Diretora Executiva da E’LÉÉKÒ: Gênero, Desenvolvimento e Cidadania

 -Deputado Chico D’Ângelo – Deputado Federal PT/Presidente da Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados

             

     Mediadora: Profª. Dra. Rosália de Oliveira Lemos – IFRJ/Campus Nilópolis


 

 

14:00h Mesa-redonda:  Juventude Dialogando Intolerância Religiosa – Local: Tenda Carolina de Jesus

   -Tatiane Duarte – Grupo Mulheres  de Yepondá

- Priscila Fisher –  Jornalista e integrante do grupo Mulheres de Yepondá

 

 16:00h Palestra: Literaturas Africanas em Língua  Portuguesa. Local: Salão da Igreja da Matriz

 

     -Prof. Sidnei Oliveira – Membro da Academia Duque Caxiense de Letras e Arte 

 

      Norma Lima - Profª Adjunta do Departamento de Letras da Faculdade de Formação de Professores da UERJ

 

-  Ione Maria do Carmo – Drª em História do PPGH da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro –UNIRIO-

 

19/11/2016

14:00h Mesa-redonda: Relato de Experiência com Mãe Conceição de Orissa – Local: Tenda Carolina de Jesus 

   Iya Mãe Lúcia (mediadora)


 



 

Aconteceu em 2015


 

 

  

Local: Paróquia São João Batista (Igreja da Matriz – Salão 4) - Praça Getúlio Vargas, s/nº, Centro, São João de Meriti - RJ.

Período: 17 a 19 de novembro de 2015.

 

 

17/11/2015 – Manhã das 11 h às 12 h 30 - Trilha da Diáspora Africana (TD): Destinada a estudiosos da academia ou a pessoas que produzem o saber popular sobre os movimentos e registros relacionados à diáspora africana.

Tema: Revolta dos Malês: Construindo um Olhar após 180 anos.

 

https://lh3.googleusercontent.com/-iymwetghZw4/AAAAAAAAAAI/AAAAAAAAAPs/IS_105lKmUY/s120-c/photo.jpg Fernando Resende, é professor da UFF com Pós-doutorado na School of Oriental and African Studies (SOAS - University of London - Inglaterra - 2013), Mestre em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais (1995), Coordenador local do Erasmus Mundus Joint Doctorate - Cultural Studies in Literary Interzones (UFF/Bergamo/Tübingen/Perpignan/Delhi), Pesquisador PQ/CNPq com ênfase em teoria e estudos da Comunicação e do Jornalismo, atuando entre outros temas Oriente Médio. Pesquisador associado do Centre for Film and Media Studies e do Centre for Palestinian Studies da SOAS - University of London. Foi vice-coordenador do GT Islam & Media da International Association for Media and Communication Research (IAMCR - 2011/2012).

 

Haidar Abu Talib,  Sociedade Beneficente Muçulmana do Rio de Janeiro (SBMRJ).

 

 

17/11/2015 – Tarde das 15 h às 17 h e 30 -  Trilha da Diáspora Africana (TD): Destinada a estudiosos da academia ou a pessoas que produzem o saber popular sobre os movimentos e registros relacionados à diáspora africana.

Tema: Desmistificando o Islã

 

 Fernando Celino, é o Assessor de Comunicação da Sociedade Beneficente Muçulmana do Rio de Janeiro (SBMRJ), já tendo ministrado dezenas de palestras e representado o Islã em diversos encontros inter-religiosos e entrevistas com temáticas voltadas ao mundo muçulmano. Sua pesquisa abordou a ética no jornalismo contemporâneo usando como estudo de caso o modo estereotipado como a religião islâmica e os muçulmanos são tratados pelos meios de comunicação de massa. Desde então, aprofundou-se em pesquisas sobre o Islã, atuando como escritor e revisor de diversos livros e artigos sobre a religião muçulmana. Já esteve nas cidades sagradas de Meca e Medina, na Arábia Saudita, por duas vezes.

 

 Wilson Prudente, procurador do Ministério Público do Trabalho, relator da Comissão Nacional da Verdade sobre da Escravidão Negra no Brasil (CEVENB) da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e Pesquisador Colaborador do N'BLAC (Núcleo Brasileiro, Latino Americano e Caribenho de Estudos em Relações Raciais, Gênero e Movimentos Sociais).

 

  Elisa Larkin Nascimento, Diretora do Instituto de Pesquisas e Estudos Afro-Brasileiros - IPEAFRO.

 

 17/11/2015 – Tarde das 10h às 11h: MPP - Música, Poesia e Palestra

 Paulo Da Ghama, é fundador da Banda Cidade Negra, hoje em carreira solo. Como artista oriundo da Baixada Fluminense, também lança seu novo CD com titulo "Baixafrikabrasil" e realiza um trabalho de palestras nas redes do Município dos Estados Brasileiros com o projeto: "MPP - Musica, Poesia e Palestra", que aborda a lei 10.639/2013, além de passar sua experiencia de vida para os adolescentes, acredita que tem muito a conversar para fortalecer os projetos e a comunidade.

Local: CIEP 169 Maria Augusta Correia, Av. Automóvel Clube, s/nº, Centro, São João de Meriti (ao lado do quartel dos bombeiros).

 

 

18/11/2015 – Manhã das 9h00 às 12h – Trilha das Políticas Públicas (TP): III seminário por uma Baixada mais leitora: o direito ao livro, leitura, literatura e bibliotecas para todos.

 


 

  Elisa Campos Machado, atuou como Coordenadora Geral do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas (SNBP) do Ministério da Cultura (2011-2015). Atualmente é professora adjunto II do Departamento de Estudos e Processos Biblioteconômicos (DEPB), do Centro de Ciências Humanas e Sociais (CCH) e do Programa de Pós-Graduação em Biblioteconomia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO).

 

 Vera Schroeder, Superintendente de Leitura e Conhecimento da SEC/RJ - Secretaria de Estado de Cultura do Governo do Estado do Rio de Janeiro

 

Jaime Fialho, poeta e escritor, popularmente conhecido como Poetinha de Meriti. Ocupante da cadeira nº 7, patrônica de Vinicius de Moraes.

 

http://meriti.rj.gov.br/sjm/wp-content/uploads/2014/01/Foto-Secretaria-de-Cultura-e1391089826763.jpg Fernanda Braga, é a Subsecretária de Cultura da Cidade de São João de Meriti. Presidente do Conselho Municipal de Cultura gestão 2009/2011/2013; Representante Nacional na  II e na III Conferencia Nacional de Cultura – 2009 e 2013; Presidente do Fórum Permanente de Gestores Públicos de Cultura da Baixada Fluminense 2014/2015; Atuação em Gestão de Projetos Sócio-Culturais e consultorias desde 2001; Superintendente Municipal de Cultura 2009/2011; Subsecretária Municipal de Cultura 2011/2012.

 

Fabiana Esteves, a pedagoga atualmente, é Orientadora Pedagógica e Chefe da Equipe de Leitura da Secretaria de Educação da Prefeitura de Duque de Caxias, se dedicando à formação docente. É Orientadora de Estudos do Pacto pela Alfabetização na Idade Certa, programa de formação em parceria do Município com o MEC. Escritora e poeta, participou de concursos de poesia e teve seus textos publicados em antologias pela Editora Litteris. Escreve para os blogs “Mãe em dose dupla” e “Proseteando”. Seu primeiro livro, “In-verso”, foi lançado em edição independente. Membro do Grupo de Trabalho do PMLLB de Duque de Caxias. Representando a SME - Secretaria Municipal de Educação de Duque de Caxias.

 
 Shirley da Rosa Garrido, a Assistente Social, professora e Coordenadora de Educação da ONG PROFEC – Programa de Formação e Educação Comunitária onde trabalha desde sua fundação há 22 anos coordenando programas sociais voltados para a EJA – Educação de Jovens e Adultos e para crianças e adolescentes, também coordena o Ponto de Leitura e a Biblioteca Comunitária Josimar Coelho da Silva, participante do Polo Tecendo uma Rede de Leitura e membro do Grupo de Trabalho do PMLLB de Duque de Caxias.

  

  Roberta de Paula, a professora é a coordenadora da Biblioteca Comunitária Nossa Casa em São João de Meriti e da rede Baixada Literária.

 

 Vanessa Machado (Mediadora), é a Coordenadora da Biblioteca Comunitária Paulo Freire de Nova Iguaçu e articuladora da rede Baixada Literária

 

 

18/11/2015 – Tarde das 12h 05 às 12h 30 – Inauguração do Ponto de Leitura Euzo Pereira da Silva (In Memoriam) no McDonald's da Rua da Matriz, em São João de Meriti.

 

 

18/11/2015 – Tarde das 13h às 14h 45Trilha de Políticas Públicas (TP): Busca-se a discussão, troca de experiências e apresentação das diversas políticas públicas em desenvolvimento no país, inclusive a lei 12.711/2012, que trata das cotas.

 

Mesa Redonda: Literatura, patrimônio cultural e território.

 
Luciane Barbosa, é a Coordenadora da Área de Patrimônio Imaterial do Inepac (Instituto Estadual do Patrimônio Cultural).

Alexandre de Oliveira Pimentel Alexandre Pimentel, é o Superintendente de Cultura e Território - Secretaria de Estado de Cultura/RJ, Pesquisador, gestor cultural e professor de geografia no ensino médio do Centro Educacional Anísio Teixeira desde 1999. Possui ampla experiência como coordenador e gestor de projetos, equipes e espaços culturais. Entre novembro de 2013 e julho de 2015 atuou como coordenador de pesquisa do Museu do Território de Paraty, projeto da Associação Casa Azul (organizadora da Flip). Entre maio de 2011 e outubro de 2013 foi o primeiro diretor da Biblioteca Parque de Manguinhos, espaço da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro. Idealizador e diretor artístico de diversos projetos ligados à música e ao campo das culturas populares, como o “Na Ponta do Verso: Poesia de Improviso no Brasil” (Livro-CD - MinC, 2008) e “Museu Vivo do Fandango” (Programa Petrobras Cultural – PR/SP, 2004/2006, pelo qual organizou um livro, um site e um CD duplo), este último incluído pela Unesco em sua Lista de Boas Práticas na área de Patrimônio Imaterial no ano de 2011. Coordenou ainda a Instrução do Processo de Registro do “Fandango Caiçara” como Patrimônio Imaterial Brasileiro, junto ao DPI/IPHAN. Trabalhou como coordenador de produção de projetos como o “Programa de Promoção do Artesanato de Tradição Cultural - Promoart” (Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular-CNFCP/IPHAN/MINC), a "Escola Portátil de Música" (Instituto Jacob do Bandolim/Sarau - RJ, 2002/2004) e os "Festivais de Inverno do RJ" (Sesc RJ/Dell´Arte - RJ, 2002/2003).  Foi produtor da Sala Sidney Miller (Funarte - RJ, 2000) e do Teatro de Arena (RJ, 1998).


 Carmen Valéria Carvalhal, do Polo Baixada Literária, é mediadora de leitura da Biblioteca Comunitária Mágica, que fica na região de Vila de Cava, em Nova Iguaçu. Possui experiência de trabalho comunitário no Centro Comunitário de São Sebastião de Vila de Cava, instituição mantenedora da biblioteca.

https://lh3.googleusercontent.com/-vnjzymkuFBw/AAAAAAAAAAI/AAAAAAAAA2k/UjS3Q90PClo/s120-c/photo.jpg Renata Costa (Mediadora), é a Coordenadora de Acervos e do Sistema Estadual de Bibliotecas da Secretaria de Estado de Cultura/RJ. Trabalha com fomento à literatura nos espaços de leitura, como bibliotecas públicas, comunitárias e pontos de leitura. Para isso, trabalha no mapeamento de todos esses espaços, buscando a realização de uma rede. Integrante de comissões de avaliação nos editais de Difusão e Intercâmbios Culturais, pela Secretaria de Estado de Cultura, Edital de Apoio a Feiras de Livros e Eventos Literários e hoje no Edital de Bolsas de Fomento à Literatura, no eixo Criação Literária, ambos pertencentes à Diretoria de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (DLLLB), Ministério da Cultura (MinC). Além disso, por ter iniciado no mercado editorial e livreiro, atuou na coordenação (ou vivência) de processo editorial, passando por todas as etapas, desde o primeiro contato com autores (contratos e instruções legais, direitos conexos, gerenciamento), revisores, diagramadores e pré-impressão e gráfica. Atuação em feiras e eventos como Primavera dos Livros, Salão do livro e lançamentos. Visitas a universidades para reuniões com professores das áreas de interesse das editoras. Revisora há oito anos. Começou com revisão de materiais de educação corporativa, e-learning, material de marketing e para treinamentos presenciais. Possui experiência com livros de literatura, brasileira e estrangeira. Trabalhou com revisão jornalística para o RJsports, jornal de circulação do Metrô/RJ. É leitora crítica de obras no prelo, auxiliando o autor a adequar o texto ao público. Blog literário com impressões pessoais.

 

 

 

18/11/2015 – Tarde das 15h às 16h 30Trilha do Educador (TE):

 

  • Mesa Redonda: Afrobrasilidades em sala de aula: a formação inicial e continuada dos docentes.

 

 Elisabete Nascimento, é professora do Colégio Estadual Jardim Meriti, membro do Conselho Estadual dos Direitos do Negro (CEDINE desde 2011). Laboratório de Afrobrasilidades - LABORAFRO (NEAB onde desenvolvem-se pesquisas em consonância com a Lei 10639-03); Direitos Humanos/Mediação de Conflitos; Gênero, "raça", Letramento e formação do leitor.


 Lisiane Vasconcellos é professora, tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Ensino de Filosofia, História da Filosofia, práticas e métodos de ensino de filosofia e analise e metodologia em livros didáticos com especial ênfase em afrobrasilidades nos livros didáticos de Filosofia.

 

 Maurício Rossi, professor de ciência sociais com ênfase em direitos humanos.


 

 

18/11/2015 – Tarde das 16h 30 às 18h 00Trilha do Educador (TE):

 

  • Mesa Redonda: Avanços e desafios na implantação da lei 10.639/2013: Experiências do cotidiano escolar.

 


 Haroldo André Garcia de Oliveira, é professor e atua na Secretaria Estadual de Educação do Rio de Janeiro. Lecionou Dança na Companhia Étnica de Dança e Teatro (RJ), Companhia de Dança Ney Andrade (RJ) e outras.

 

Vinícius dos Santos Fernandes,  é professor e atua na Educação Básica na rede Estadual de Ensino do Rio de Janeiro e na rede Municipal de Seropédica.

 

 Nadia Tobias (Mediadora), é professora e atua na Educação Básica na rede Estadual de Ensino do Rio de Janeiro.

 

 


19/11/2015 – Manhã das 9h30 às 12h30 – Trilha do Educador (TE): I Encontro dos NEABI (Núcleos de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas)

  • Mesa Redonda: Políticas de Promoção da Igualdade Racial na Educação.

 

Otair Fernandes de Oliveira, professor da UFRRJ campus Nova Iguaçu, atua em vários cursos de graduação e pós-graduação lato sensu sobre educação e promoção da igualdade racial. Coordena o Laboratório de Estudos Afro-Brasileiro e Indígenas (LEAFRO-Neabi-UFRRJ). É Líder do Grupo de Estudo e Pesquisa Patrimônio Imaterial e Cultura Afro-Brasileira (GEPICAfro). É membro do Grupo de Pesquisa Educação Superior e Relação Étnico-Raciais (GPESURER).

 

Foto Alessandra Pio, atualmente coordena o Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros (NEAB), no qual instituiu o Grupo de Estudos, Pesquisas e Ações sobre Racismo e Relações Étnicorraciais e Indígenas (GEPARREI) e o Circuito Cultural Afro-Brasileiro do Colégio Pedro II.


Alexandre do Nascimento, seus temas de estudos e ensino são: Tecnologias de Informação, Relações Raciais, Ações Afirmativas, Educação das Relações Étnico-Raciais, Movimentos Sociais, Políticas de Constituição do Comum. É Professor da Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro - FAETEC


http://servicosweb.cnpq.br/wspessoa/servletrecuperafoto?tipo=1&id=K4785115P3 Marcia Guerra (Mediadora), atualmente é professora da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e do IFRJ. Concentra a pesquisa e o interesse no Ensino de História, especialmente preocupada com temais tais como Currículo, Diversidade Cultural, História da África e História do Tempo Presente.

  

 

19/11/2015 – Tarde às 13 h às 14 h 40 - Palestra Internacional

 

 Tyrone Geter, Pintor e ilustrador da Benedict College, Columbia, SC, professor de arte e curador da galeria de arte. Honor Awards; Primeiro lugar, Moja Arts Festival, Charleston, SC; primeiro lugar, Butler Instituto de Arte Americana, Youngstown, OH; Selecionadas coleções particulares e públicas: A Casa Branca , Washington , DC.
  • Tema: The Shape of Content As It Reflects The Enviroment In Which We Live (Como a forma do conteúdo reflete o ambiente em que vivemos) - Description:  An artistic journey exploring the various elements and surroundings that influences the form, content and direction of an artist life and work (Um percurso artístico explorar os vários elementos e ambientes que influenciam a forma, o conteúdo eo sentido de uma vida e obra do artista)

 

 

19/11/2015 – Tarde das 15h 30 às 16h 30 – Trilha do Educador (TE): I Encontro dos NEABI (Núcleos de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas)

  • Tema: Relatos de experiências dos NEABIs do IFRJ nos campi São Gonçalo, Nilópolis, Duque de Caxias e Eng. Paulo de Frontin

 

Janaína Oliveira, a professora coordena o NEAB do IFRJ Campus São Gonçalo e o Fórum Itinerante de Cinema Negro. Realiza pesquisas centradas na reflexão sobre Cinema Negro, no Brasil e na diáspora, e sobre as cinematografias africanas, sempre buscando conexões que possam incidir também na área da educação das relações étnico-raciais. 

Sandra Regina Fabiano do Rosario Vieira, representando a professora Fernanda Delvalhas Piccolo, do NEABI do IFRJ campus Nilópolis, e do grupo PET/Conexões de Saberes em Produção Cultural.

Marcelo Cardoso da Costa, é sociólogo, geógrafo e professor, além do atual coordenador do NEABI (Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas) do IFRJ - Campus Duque de Caxias e desenvolve pesquisas sobre Tecnologia, Ciência e Sociedade (Petrobrás - PFRH).

 

Rosi Rezende, a pedagoga coordena o NEABI do IFRJ campus Eng. Paulo de Frontin. 


Mariana Mello Souto Maior (Mediadora), a professora de sociologia é a Coordenadora Geral de Diversidades do IFRJ.

 
 

19/11/2015 – Tarde das 16h 50 às 17h 50 – Apresentação Artístico-Cultural: Jongo de Pinheiral

 

 

19/11/2015 – Noite das 19h às 20h 30 - Salão 5 - Trilha da Diáspora Africana (TD): Destinada a estudiosos da academia ou a pessoas que produzem o saber popular sobre os movimentos e registros relacionados à diáspora africana.

Tema: Reminiscência dos Malês na Bahia e a Irmandade do Rosário dos Pretos do Pelourinho

Irmandade de São Benedito e Nossa Senhora do Rosário dos Pretos

A Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos é uma igreja católica de Salvador, Bahia, construída no século XVIII. Está localizada no Centro Histórico de Salvador, na ladeira do Pelourinho. É parte do centro histórico da cidade declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO.

Fonte: Wikipedia

 Athaylton Jorge Monteiro Belo, Frei Tatá (Paróquia São João Batista) (Mediador), Membro da ALASJM - Academia de Letras e Artes de São João de Meriti

Irmã Analia Santana, da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, Salvador, Bahia.
Irmã Nilsa Bomfim Dias
, da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, Salvador, Bahia.
Irmão Adilson Santos da Silva
, do Terço dos Homens da Irmandade do Rosário dos Homens Pretos, Salvador, Bahia e do Centro Arquidiocesano de Articulação Pastoral Afro – CAAPA.
Irmão Almir Menezes
, do Terço dos Homens da Irmandade do Rosário dos Homens Pretos, Salvador, Bahia e do Centro Arquidiocesano de Articulação Pastoral Afro – CAAPA.

 

21/11/2015 – Manhã das 11h30 às 12h – Trilha das Políticas Públicas (TP):

Mesa Redonda: Mulheres em Marcha.

A Marcha foi idealizada, no Tulip Inn Hotel, Salvador-BA, por ocasião do Encontro Paralelo da Sociedade Civil para o Afro XXI: Encontro Ibero Americano do Ano dos Afrodescendentes (16 a 20 de novembro de 2011) e será construída até 18 de novembro de 2015. Trata-se de uma iniciativa de articular as mulheres negras brasileiras. A intenção é aglutinar o máximo de organizações de mulheres negras, assim como outras organizações do Movimento Negro, sem dispensar o apoio de organizações de mulheres e de todo tipo de organização que apoiem a equidade sociorracial e de gênero. Mulheres que participaram da Marcha dia 18/11/2015 contam seus pontos de vistas, conquistas e avanços da Marcha das Mulheres Negras de Brasília.

Mãe Lúcia de Oxum

Mãe Isabel de Oyá

Ignês Teixeira, Superintendente de Promoção da Igualdade Racial na empresa Secretaria Municipal de Cidadania e Direitos Humanos da Cidade de Nilópolis

 

 

 

*** Aconteceu em 2014 ***

 

Local: Paróquia São João Batista (Igreja da Matriz – Salão 4) - Praça Getúlio Vargas, s/nº, Centro, São João de Meriti - RJ.

Período: 18 a 22 de novembro de 2014.

 

Escolha as Trilhas que você deseja participar, de acordo com a exposição descrita abaixo.


Palestras confirmadas /dias e horários.


18/11/2014 – Abertura - Manhã às 10h.

 

 Eduardo de Assis Duarte - Após discutir o conceito de literatura afro-brasileira, a partir do confronto com a literatura canônica, a palestra objetiva apresentar a produção de autores negros empenhados na construção de uma escrita voltada para o leitor iniciante – criança e/ou jovem – e para a formação do hábito de leitura como formas de combate ao preconceito racial. Doutor em Letras (USP, 1991), integra o Programa de Pós-graduação em Letras – Estudos Literários, da UFMG e o Núcleo de Estudos Interdisciplinares da Alteridade – NEIA. Autor de Jorge Amado: romance em tempo de utopia (1996), Literatura, política, identidades (2005), e organizador, entre outros, de Machado de Assis afrodescendente (2007). Pesquisador nível 1 do CNPq, coordenou o projeto integrado de pesquisa afrodescendências: raça/etnia na cultura brasileira, com a participação de pesquisadores de diversas Universidades do Brasil e do exterior. Dentre os produtos do projeto destacam-se a coleção Literatura e Afrodescendência no Brasil: antologia crítica (4 vol., 2011), os volumes didáticos Literatura afro-brasileira: 100 autores do século XVIII ao XXI (2014) e Literatura afro-brasileira: abordagens na sala de aula (2014)  e o literafro – Portal da Literatura Afro-brasileira, com informações biobibliográficas, críticas e excertos de 125 autores, disponível no endereço: www.letras.ufmg.br/literafro

. Após a palestra, o prof. Eduardo de Assis Duarte realizará o lançamento dos livros: Literatura afro-brasileira, 100 autores do século XVIII ao XXI (Pallas, 2014) e Literatura afro-brasileira, abordagens na sala de aula (Pallas, 2014).

  • Tema: "A literatura afro-brasileira e a educação para a diversidade"

 

Toni Blackman, artista, poetisa e ativista da cultura Hip Hop, norte-americana. Toni Blackman é conhecida internacionalmente como uma importante artista e ativista da cultura hip hop, famosa pela energia contagiante de suas performances e sua fascinante presença feminina.  Toni é só coração, só ritmo, ela é poder, é a revolução de uma mulher feita só de poesia e de microfone.  Toni vem apresentando performances, workshops e palestras sobre a música e a cultura hip hop em diversas partes do mundo, e compartilhando o palco com artistas como Erykah Badu, Mos Def, The Roots, Wu Tang Clan, Guru, Bahamadia, Boot Camp Clic, Sarah McLachlan, Sheryl Crow, e também Rickie Lee Jones, dentre outros.  Seu primeiro livro, Inner-Course, foi publicado em 2003 pela Villard/Random House.  Já se apresentou no V-Day Festival de Eve Ensler, Dodge Poetry Festival, Fórum Social Mundial em Barcelona, Espanha, Cutting Edge Festival em Darmstadt, Alemanha, e no Senerap International Hip Hop Festival em Dakar.  Realizou também uma turnê pela África do Sul junto a Linton Kwesi Johnson, através do Urban Voices FestivalRespeitada como fundadora e diretora do Freestyle Union, um workshop de cypher que utiliza o free styling como ferramenta para encorajar a responsabilidade social, o trabalho de Toni Blackman tem tido grande influência no mundo do ativismo hip hop.  Sua mais recente iniciativa junto ao Freestyle Union é o projeto I Rhyme Like a Girl (“Eu Rimo como uma Menina”), desenvolvido em parceria com o Instituto de Educação Urbana da New School University, através do qual é fornecido treinamento, apoio e oportunidades a artistas mulheres emergentes, ainda não estabelecidas no cenário do hip hop.   É membro do Comitê da Palavra Falada do Capítulo de Nova York do Grammy, foi nomeada pela AOL Black Voices “uma das 10 principais líderes femininas afro-americanas da próxima geração”, e listada pela Essence Magazine como uma das “30 mulheres a se observar”.  Sua carreira e seu trabalho têm tido grande repercussão na mídia impressa, em veículos como Savoy Magazine, Book Magazine, Newsweek, The Washington Post e The New York Times.  A NHK-Global Japan Television produziu um documentário de longa-metragem sobre Toni, o qual foi ao ar para 11 milhões de telespectadores no Japão, e a Third World Newsreel , o documentário de curta-metragem She Rhymes Like a Girl.  Além disso, seu trabalho tem sido amplamente divulgado por redes de TV, como BET, FOX News e VH1, e também em documentários premiados como Furious Force of Rhymes, Beyond Beats and Rhymes e Freestyle.

  • Tema: "Poesia, a Palavra Falada e as Artes Literárias"

 

 

19/11/2014 – Manhã às 9h – Trilha da Literatura (TL): Destinada a escritores e interessados(as) em conhecer o que existe de contemporâneo e diversificado na produção literária realizada Por ou sobre afrodescendentes.

 

 Sergio da Silva Barcellos - Sergio Barcellos concluiu o mestrado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro em 2004. Recebeu o título de Doutor em Letras, pela PUC-Rio, em março de 2009. Leciona em um módulo do Curso de Especialização da UERJ, em Literatura Brasileira, sobre escrita diarística, desde 2008. Dirigiu o Espaço Cultural Caravelas (Rio de Janeiro, 1999/2000), e atuou como editor, pela Editora Velocípede Ltda (Rio de Janeiro, 1998/2005). Possui vários artigos em periódicos especializados. Publicou 5 livros, dentre os quais dois de poemas, um de contos, uma biografia e uma dissertação de mestrado. O livro Toque de Silêncio - Uma história de homossexualidade na Marinha do Brasil, editado pela Geração Editorial, representou o primeiro projeto editorial no gênero "coming-out stories" no Brasil. Como responsável pela Editora Velocípede editou 27 livros de diversas áreas. Desenvolveu pesquisa em nível de pós-doutorado na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, sobre o tema Corpos & Diários: a inscrição do corpo na escrita fragmentada do diário. Desenvolveu, também, projeto de pesquisa em nível de pós-doutorado no exterior sobre o tema "Tempo, memoria e escrita diarística", junto a Hofstra University. Atualmente, dedica-se ao projeto "Vida por escrito - Organização, classificação e estabelecimento do arquivo de Carolina Maria de Jesus", projeto classificado pelo edital Prêmio Funarte de Arte Negra, 2013.

  • Tema: "O que nos reserva o arquivo de Carolina Maria de Jesus?"


Simone Ribeiro da Conceição - Mestre em Literaturas Africanas de Língua Portuguesa pela Universidade Federal Fluminense. Professora da SMA/RJ - ensino fundamental . Desenvolve estudos sobre a projeção da matriz cultural africana em obras literárias, músicas e artes plásticas criadas no Brasil e em Angola. Como colaboradora do NesUERJ (Negro, Educação e Sociedade), atua na pesquisa e desenvolvimento de atividades destinadas à promoção de conhecimentos sobre africanidades, ensino de Literaturas Africanas e Literatura Afro-Brasileira.

  • Tema: “Poesia afro-brasileira: novos versos e veios da oralidade nos saraus da periferia

 

Carlos Alberto Medeiros, Autor de “Na lei e na raça. Legislação e relações raciais, Brasil – Estados Unidos” e coautor de “Racismo, preconceito e intolerância”. Foi Coord. Especial de Promoção da Igualdade Racial do Município do Rio de Janeiro, Assessor Técnico do Senado Federal – Gabinete do Senador Abdias Nascimento.

  • Tema: Lançamento do livro "A autobiografia de Martin Luther King", traduzido por Carlos Alberto Medeiros (Editora Zahah).

 

Karen Alexander, her vision is to use the arts to educate and empower children across the globe. In 2001, she founded The Auntie Karen organizations. Auntie Karen Inc. is an educational entertainment company. They create educational products such as Olivia the Octopus and the Jamaican Yams. The Auntie Karen Foundation is a global, 501 c 3 charitable corporation certified by the state of South Carolina on October 31, 2001. The foundation's mission is to create and implement a series of reproducible community outreach programs designed to empower, enlighten and educate through the arts.

  • Tema: "Empowering African American Youth Through The Arts"

   


19/11/2014 – Tarde às 14h. - Trilha do Educador (TE): Propõe reflexão a professores, educadores e a comunidade sobre as ações desenvolvidas nos últimos 10 anos da Lei 10.639/03, que inclui no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira”.
Palestrantes:


 Rosane Rodrigues Heringer - Doutora em Sociologia (IUPERJ), professora e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Educação e dos cursos de graduação da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (FE/UFRJ). Foi coordenadora Executiva da ActionAid Brasil, Diretora do Centro de Estudos Afro-Brasileiros da Universidade Candido Mendes, pesquisadora do IBASE e pesquisadora da CEPIA. Foi professora adjunta da Universidade Federal de Viçosa. Publicou vários artigos e capítulos de livros sobre relações raciais, discriminação racial, desigualdades raciais, políticas de ação afirmativa, desigualdades no acesso e permanência na educação superior, desigualdades de gênero e direitos humanos. Foi Relatora do Direito Humano à Educação da Plataforma Dhesca Brasil (mandato 2012-2014). É conselheira do Fundo Elas de Investimento Social. Integra o Conselho Fiscal da Campanha Latino-Americana pelo Direito à Educação (CLADE-Brasil) e do IBASE. Publicações recentes: Expectativas de acesso ao ensino superior: um estudo de caso na Cidade de Deus, Rio de Janeiro (2013, e-book); Diversidade, relações raciais e étnicas e de gênero no Brasil contemporâneo in O Progresso das Mulheres no Brasil (2003-2010) - (co-autoria), 2011; Caminhos Convergentes - Estado e Sociedade na Superação das Desigualdades Raciais no Brasil (co-autoria), 2009.

  • Tema: “Balanço das Políticas de Promoção da Igualdade Racial no Brasil na Última Década


 Angela Maria da Costa e Silva Coutinho - Possui graduação em Letras pela Universidade Federal Fluminense (1974), Mestrado em Letras pela Universidade Federal Fluminense (1993) e Doutorado em Letras pela Universidade Federal Fluminense (2000). É professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro - IFRJ, desde 1994. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Portuguesa, atuando principalmente nos seguintes temas: literatura comparada - teatro e literatura contemporâneos, teatro contemporâneo, produção cultural, arte e ciência e cultura e expressão artística. De 2005 a 2007 exerceu a função de coordenadora do Curso Superior de Tecnologia em Produção Cultural e de Coordenadora do Curso de Pós-graduação Especialização em produção Cultural com ênfase em Literatura Infantojuvenil no ano de 2008. Foi nomeada e atuou como Diretora de Ensino no Campus São Gonçalo de 2008 a 2014.. É pesquisadora e parecerista ad hoc do Programa de Iniciação Científica do IFRJ, Parecerista do Programa de Iniciação Científica da UnEB. Realiza os projetos Clube de Ciência, Cultura e Arte (FAPERJ) e Encontros de leitura e escrita (PROCIÊNCIA-IFRJ). Participação em bancas de avaliação de Dissertação de Mestrado, Teses de Doutorado, Monografias de Especialização e Trabalhos de Conclusão de Cursos de Graduação.Participação em bancas de elaboração de provas para o ensino médio e superior. Participação em bancas de avaliação de concurso público. Participação em comissão julgadora de cinema de animação. Orienta bolsistas do Programa de Formação de Recursos Humanos da Petrobras. Orienta Trabalhos de Conclusão de Curso de graduação e Monografias de Cursos de Especialização Lato Sensu nas áreas de Letras, Artes e Comunicação.

  • As relações entre o ensino e as representações raciais nos meios de comunicação contemporâneos

 

 Jorge da Silva – possui Pós-Doutorado na Universidade de Buenos Aires / Equipo de Antropologia da Faculdade de Filosofia e Letras (2006). Possui doutorado em Ciências Sociais pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ / Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (2005); mestrado em Ciência Política pela Universidade Federal Fluminense/ Instituto de Ciências Humanas e Filosofia (1998); mestrado em Letras pela Universidade Federal Fluminense / Instituto de Letras (1972); graduação em Direito e em Letras pela Universidade Federal Fluminense (1970 e 1972, respectivamente); Todos os cursos regulares do oficialato da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, corporação em que chegou ao último posto, o de coronel, e em que ocupou altas funções. Professor-adjunto da Universidade do Estado do Rio de Janeiro / UERJ (aposentado), onde foi coordenador-executivo da Coordenação Multidisciplinar de Estudos e Pesquisas em Ordem Pública, Polícia e Direitos Humanos / Reitoria. Foi coordenador, no Núcleo Superior de Estudos Governamentais / NUSEG/Uerj, do Curso de Segurança Pública: Teoria e Gestão, realizado em convênio com Governo do Estado (Instituto de Segurança Pública / ISP (1999-2007). Exercício na Faculdade de Formação de Professores da UERJ / Departamento de Letras (professor-adjunto) até junho de 2008; foi coordenador do Curso de Especialização em Direito da Segurança Pública, da Faculdade de Tecnologia e Ciências Educação a Distância (FTC EAD), Salvador, Ba. Possui experiência nas áreas de Educação, de Formação Policial, e de planejamento estratégico no campo da Segurança, Justiça e Direitos Humanos. Seis livros publicados em torno de temas como segurança pública, violência urbana, racismo, criminologia, polícia, além de artigos em publicações nacionais e estrangeiras. Possui também experiência no desenvolvimento de políticas públicas nessas áreas, em razão sobretudo de sua atuação como integrante da cúpula da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro até 1994 (subsecretário de Estado e chefe do Estado Maior Geral), e depois em cargos da alta administração do Estado, a saber: coordenador de Segurança, Justiça, Defesa Civil e Cidadania (2000-2002), presidente do Instituto de Segurança Pública - ISP (2003), e secretário de Estado de Direitos Humanos (2003-2006).

  • Tema: “Efeitos do Racismo Cientifico no Brasil”.

 

 Pedro Carlos Pereira – possui graduação em Licenciatura em Matemática - Faculdade de Filosofia Ciências e Letras da Fundação Educacional Rosemar Pimentel (1982), mestrado em Educação Matemática pela Universidade Santa Úrsula (1997) e Doutorado em Educação Matemática na PUC-SP - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Atualmente é professor adjunto 1 e coordenador do Curso de Especialização em Ensino de Matemática no departamento de Matemática do ICE da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). É membro da Comissão Permanente da Formação de Professores da UFRRJ, coordenador do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), na área de Matemática e tutor do Programa de Educação Tutorial - Matemática e Meio Ambiente. Auxiliar de pesquisa e professor multiplicador do Projeto Fundão do Instituto de Matemática/Universidade Federal do Rio de Janeiro (IM/UFRJ). Tem experiência docente nas áreas de Matemática e da Educação Matemática. Como pesquisador, tem trabalhado principalmente nos campos de História da Educação Matemática, Ensino de Matemática, Tratamento da Informação e Formação Continuada de Professores.

  • Tema: "OLÙKÓ MATHIMÀTIKI"

 


21/11/2014 – Manhã às 8h - Trilha das Políticas Públicas (T.P.): Busca-se a discussão, troca de experiências e apresentação das diversas políticas públicas em desenvolvimento no país, inclusive a lei 12.711/2012, que trata das cotas.
Palestrante:

 

 Otair Fernandes de Oliveira - Doutor em Ciências Sociais pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ (2008) com mestrado em Ciência Política pela Universidade Federal Fluminense - UFF (1999), graduação em Ciências Sociais pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ (Bacharelado, 1993) e pela Fundação Unificada Campograndense - FEUC (Licenciatura, 1985). Atualmente exerce o cargo de professor adjunto na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - UFRRJ, no Instituto Multidisciplinar - Campus Nova Iguaçu, lotado no Departamento Educação e Sociedade (DES) atuando em vários cursos de graduação (Pedagogia, Letras, Educação do Campo, Geografia), ministrando as disciplinas de Sociologia e Educação, Política e Organização da Educação, Movimentos Sociais e Educação, Teoria Política, dentre outras. Coordena o Laboratório de Estudos Afro-Brasileiro e Indígenas - LEAFRO-Neabi-UFRRJ. É lider do Grupo de Estudo e Pesquisa Patrimônio Imaterial e Cultura Afro-Brasileira - GEPICAfro. Vice Coordenador do Observatório das Políticas de Democratização de Acesso e Permanência na Educação Superior da UFRRJ. Membro do Grupo de Pesquisa Educação Superior e Relação Étnico-Raciais - GPESURER. É tutor do Grupo PET/CONEXÕES DE SABERES: Dialogando e Interagindo com as Múltiplas Realidades e Saberes da Baixada Fluminense. Concentra interesse nas áreas da Sociologia Política e Educação, com preferência nas temáticas ensino de sociologia, democracia, educação e relações étnico-raciais, políticas públicas e acesso ao Ensino Superior, e Baixada Fluminense.

  • Tema: “OPAA - Observatório das Políticas de Democratização de Acesso e Permanência na Educação Superior da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

 

  Cecília Ramos da Fonseca Ugulino - Professora de História do Município de São João de Meriti- Estado do Rio de Janeiro. Professora do 1 Segmento de Ensino do Município de Duque de Caxias- Estado do Rio de Janeiro. Possui mestrado em educação na linha de pesquisa: Gênero e Etnia. Exerce atualmente a função Coordenadora do Projeto Igualdade e Diversidade no município de São João de Meriti, Estado do Rio de Janeiro que tem como prioridade a Implementação das Leis 10.639/03 e 11.645/03 no Currículo Escolar das Escolas Municipais com extensão aos Direitos Humanos.

  • Tema: "Reflexões sobre a Lei 10.639/03 no Currículo Escolar de São João de Meriti"

 

Roberta de Paula e Carla Alves do Nascimento (Biblioteca Nossa Casa)

  • Tema: "PMLLLB - Plano Municipal do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas"

 


21/11/2014 – Tarde às 14h Trilha da diáspora Africana (TD): Destinada a estudiosos da academia ou a pessoas que produzem o saber popular sobre os movimentos e registros relacionados à diáspora africana.
Palestrantes:


 Éle Semog - Nasceu no Século XX da Era Comum, na cidade de Nova Iguaçu, Rio de Janeiro. Viveu a infância e a adolescência no subúrbio carioca nos bairros de Vila Valqueire e Bangu. Nos anos de 1970 participou do Grupo Garra Suburbana, onde publicou seus primeiros poemas mimeografados. Como militante do movimento social negro participou de diversas organizações de combate ao racismo, lutou contra a ditadura militar e pela promoção da democracia. Na década de 1980, participou da fundação do Jornal Maioria Falante e do Centro de Articulação de Populações Marginalizadas - CEAP, onde também foi presidente. Atualmente é membro do Conselho Executivo do Instituto Palmares de Direitos Humanos e Secretário Executivo do CEAP. Seus poemas foram musicados pelos compositores Irinéia Maria, Teo de Oliveira, Mauro Marcondes e Laércio Lino. No campo da literatura fundou os grupos “Negrícia Poesia e Arte de Crioulo” e “Bate Boca de Poesia”

  • Tema: “Poesia Afro-Brasileira: verso de combate ao racismo

 

 Luiz Eduardo Soares, é um dos autores de "Elite da tropa" que é resultado de uma combinação das experiências de seus autores na corporação policial e na gestão da segurança pública e "Elite da Tropa 2" que é uma obra de ficção sobre o crime organizado no Rio de Janeiro. Formou-se em Literatura, na PUC-RJ, e construiu sua carreira combinando produção literária e dramatúrgica com docência, obras acadêmicas e gestão pública. Escreveu, com Domingos de Oliveira e Márcia Zanelato, a peça Confronto e a adaptação para o teatro de seu livro, Tudo ou Nada, que será encenada no começo de 2013, com direção de Marcus Faustini. É mestre em Antropologia, doutor em ciência política com pós-doutorado em filosofia política. Foi secretário nacional de segurança pública (2003) e coordenador de segurança, justiça e cidadania do Estado do RJ (1999/março 2000). Colaborou com o governo municipal de Porto Alegre, de março a dezembro de 2001, como consultor responsável pela formulação de uma política municipal de segurança. De 2007 a 2009, foi secretário municipal de valorização da vida e prevenção da violência de Nova Iguaçu (RJ). Em 2000, foi pesquisador visitante do Vera Institute of Justice de Nova York e da Columbia University.Tem vinte livros publicados, entre eles o romance Experimento de Avelar, premiado pela Associação de Críticos Brasileiros em 1996, e Meu Casaco de General, finalista do Prêmio Jabuti em 2000. Foi professor da UNICAMP e do IUPERJ, além de visiting scholar em Harvard, University of Virginia, University of Pittsburgh e Columbia University. É professor da UERJ e coordena o curso à distância de gestão e políticas em segurança pública, na Universidade Estácio de Sá.

  • Tema: “


Dayse Marcello. Autora de "Eu verso Buakamukua" a palavra significa diferente. O livro destaca a contribuição dos povos africanos na formação da língua brasileira privilegiando as palavras Yorubanas e Kibumdu, que foram “abrasileiradas” no vocabulário português do Brasil. O livro da uma singela contribuição a implementação da lei 10.639/02 no âmbito educacional. Nascida na cidade de Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro. É psicóloga, escritora, assessora técnica de gestão, consultoria e avalista de projetos socioculturais e ambientais além de funcionária pública.Autora do Projeto "O teatro no contexto socioeducativo: exercício de cidadania e inclusão social. Implementado no DEGASE e premiado como Projeto pioneiro de excelência. Articuladora do Fórum de religiões de matriz africana Ya Obá Bii  na Baixada Fluminense. Presidente do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos do Negro de Mesquita. Idealizadora e coautora da cartilha "Direitos Humanos", publicada em quatro idiomas e distribuída nos jogos Pan Americanos. Agraciada com o prêmio Zumbi dos Palmares e Rosas Negras-ALERJ. Moção Honrosa-Câmara de Vereadores, pela iniciativa de levar a Prefeitura de Nova Iguaçu a ser a primeira do Estado a decretar cotas no Serviço Público no ano em que coordenou a Coordenadoria de Igualdade Racial (2011).

  • Tema: “Inventário dos Falares Africanos no Brasil


 Ecio Pereira de Salles - Nasceu em 1969, no bairro de Olaria, subúrbio carioca, na borda do Complexo do Alemão. Graduado em letras português/francês, mestre em letras e doutor em comunicação. É Escritor, autor de Poesia revoltada (um estudo sobre a cultura hip-hop no Brasil) e co-autor de História e Memória de Vigário Geral (editora Aeroplano) e curador da coleção Tramas Urbanas, dessa mesma editora. É um dos criadores e organizadores da FLUPP a Festa Literária das Periferias, encontro internacional de literatura criado no Rio de Janeiro em 2012 e realizado em favelas cariocas. Também é consultor do Programa Onda Cidadã (do Itaú Cultural) e Conselheiro da Universidade das Quebradas, projeto criado por Heloísa Buarque de Hollanda. É vascaíno, Vila Isabel e lateral direito da Pindorama, a Seleção Brasileira de Futebol de Escritores.

  • Tema: "Literatura e a reinvenção da cidade"

 

 

 


 

Os preparativos para o II Festival Literário Internacional da Diáspora Africana de São João de Meriti, o FLIDAM 2014
 

Os bibliotecários do IFRJ nos Campi Duque de Caxias e Mesquita prestigiaram o evento. Foto 1: O bibliotecário do Campus Duque de Caxias, Elon Freitas Lima, com Rodney Albuquerque, a bibliotecária Barbara Stripling e Frei Tatá. Foto 2: O bibliotecário do Campus Mesquita, Marcos Ferreira de Araújo com Barbara Stripling.

Os preparativos para o II Festival Literário Internacional da Diáspora Africana de São João de Meriti, o FLIDAM 2014, que será realizado entre 18 e 22 de novembro, na praça da matriz em São João de Meriti, já estão em andamento. Encontros, audiências públicas, palestras e outras atividades vêm sendo realizadas desde maio. Nesta quarta-feira, 1 de outubro, foi realizada mais uma pauta relacionada ao tema. Uma palestra sobre bibliotecas e incentivo à leitura, aconteceu no Instituto de Educação do município, com a professora adjunta da Escola de Estudos da Informação da Syracuse University e presidenta para o biênio 2013-2014 da Associação Americana de Bibliotecas (ALA, American Library Association, na sigla em inglês), a bibliotecária Barbara Stripling, que proferiu a palestra "Bibliotecas Transformam Vidas". O evento que contou com tradução simultânea para todos os participantes, e foi promovido pelo Centro de Informação e Pesquisa (IRC, na sigla em inglês) do Consulado Geral dos Estados Unidos da América no Rio de Janeiro, pela ALASJM - Academia de Letras e Artes de São João de Meriti, pela prefeitura da cidade de São João de Meriti e pelo IFRJ - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro.

A ALA é a mais antiga e maior associação de bibliotecas do mundo, e fornece/desenvolve informações, notícias, eventos e recursos de “advocacy”, para seus associados, bibliotecários e usuários de bibliotecas. Fundada em 1876, a associação tem por missão trabalhar em prol do desenvolvimento, promoção e melhoria de bibliotecas e serviços de informação, bem como fornecer treinamentos para bibliotecários nos EUA, com o intuito de ampliar o acesso à informação.

Barbara Stripling veio ao Brasil em decorrência da apresentação, em Florianópolis entre os dias 23 e 26 de setembro, da palestra magna (keynote address) na convenção da Associação dos Centros Binacionais da América Latina (ABLA), que acontece a cada dois anos e sempre tem algum tema no intuito de propiciar reflexões que levarão a mudanças nos países associados. Participaram daquela convenção no Sul do Brasil 125 institutos associados, espalhados por vários países da América Latina e Caribe. Os Centros Binacionais atendem uma média de 250.000 alunos e têm por volta de 5.000 colaboradores. Aqueles Centros Binacionais recebem total apoio do governo dos Estados Unidos, mas para tanto, devem demonstrar alto padrão de qualidade nos serviços de educação e cultura. Stripling, além de uma série de agendas por diversas cidades brasileiras, proferiu no Estado do Rio de Janeiro palestras que incluíram a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) na capital fluminense e o Instituto de Educação na cidade de São João de Meriti na Baixada Fluminense.
 

Barbara Stripling durante sua palestra no FLIDAM 2014.


A palestrante, além de presidenta para o biênio 2013-2014 e professora, durante seus 35 anos de carreira na área de biblioteconomia, foi diretora dos serviços de bibliotecas das escolas da cidade de Nova Iorque; especialista em mídias de bibliotecas escolares e diretora de bibliotecas no Arkansas; diretora do programa de financiamento de bibliotecas no Tennessee; e diretora dos programas de biblioteca de um fundo educacional da cidade de Nova Iorque. Possui doutorado em Gerenciamento de Informações pela Universidade de Syracuse e é autora e editora de diversos livros e artigos. Stripling é também ex presidente da Associação Americana de Bibliotecários Escolares.

 

“Estamos pela primeira vez em São João de Meriti para apoiar o FLIDAM. A ideia desta palestra é mostrar o quanto a biblioteca é importante e pode mudar vidas. Queremos explicar que a biblioteca pode, também, ser um espaço de prazer, de reunião, e até de jogos, podendo reunir famílias. O objetivo é buscar a interação para atrair as pessoas. Saber os anseios do público e procurar atender, para dar oportunidade e acesso à leitura”, explicou Almerita Souza, diretora do Centro de Informação e Pesquisa do Consulado Geral dos Estados Unidos da América, e uma das intermediadoras para a vinda da palestrante ao município.

 

Almerita Souza, Rodney Albuquerque, Barbara Stripling e Frei Tatá


Outro intermediador foi o especialista cultural sênior do Consulado Geral dos Estados Unidos da América, Victor Tamm. “O consulado vai apoiar o FLIDAM este ano. Já está confirmada a presença de Toni Blackman, poetisa, atriz e ativista negra ligada ao movimento Hip Hop, que fará a palestra de abertura do evento”, completa Victor.

Outra surpresa positiva se deu pela presença e participação de Écio Salles, diretor da FLUPP - Festa Literária das Periferias, que veio prestigiar o evento e já confirmou presença na edição deste ano do FLIDAM. “É muito importante para nós da FLUPP poder prestigiar e apoiar o FLIDAM, pois é mais uma das oportunidades de promoção das festas literárias. O FLIDAM e a FLUPP têm o mesmo propósito: pensar a literatura, que normalmente é restrita, tirá-la desta restrição e encontrar novos espaços de expressão”, disse Écio Salles.

 

Écio Salles, curador da FLUPP - Festa Literária das Periferias no FLIDAM 2014.


Para o curador do FLIDAM, prof. Rodney Albuquerque, a palestra lembra do protagonismo que um festival literário possui ao propor repensar a atual utilização de nossas bibliotecas, especialmente em uma região como a Baixada Fluminense, onde há total carência de concursos públicos para bibliotecários, necessidade de aquisição de acervos ainda mais atualizados e especializados, além de necessidade de modernização e aparelhamento das bibliotecas: "A comunidade necessita se empoderar e reivindicar a ampliação da disponibilidade, em melhores condições, deste elementar aparelho público" disse Albuquerque. "Ter tido a oportunidade e o privilégio de compartilhar esta atividade com nossas normalistas, que serão nossas futuras professoras, é essencial na formação de uma consciência diferenciada para novas gerações e extremamente gratificante", disse.